1 - Home

2 - Equipes

3 - Estatistica

4 - Infraestrutura

5 - Passo a passo

6 - Links
especializados

7 - Dicionário

8 - Sites de busca


DICIONÁRIO DE TERMOS DA HEMODINÂMICA

Aneurisma: dilatação e protusão localizada da parede de um vaso (principalmente artéria) ou do coração, decorrente de uma fragilidade estrutural local.

Angina: também chamada de angina do peito ou angina pectoris. Caracteriza-se por dor intensa no peito, geralmente do tipo constrictiva, com frequência irradiada para a parte interna do braço esquerdo, provocado, quase sempre, por uma diminuição no fluxo de sangue que irriga o coração.

Aorta: grande artéria que nasce do ventrículo esquerdo do coração e que transporta sangue arterial para suprir todo corpo humano. Aorta abdominal: porção abdominal da aorta. Aorta torácica: segmento torácico da aorta, que é dividido em porção ascendente, transversa e descendente torácica.

Aortoplastia: consiste na dilatação de estreitamento na aorta, por Ex:. coarctação congênita da aorta.

Angiocardiografia: visualização da luz dos vasos e das cavidades cardíacas utilizando-se uma substância contrastante. Desta forma podemos analisar a presença ou não de defeitos cardíacos congênitos, lesões em válvulas cardíacas e a função contrátil do músculo cardíaco.

Angiografia: visualização da luz do vaso ao injetar contraste radiológico.


Aortografia Abdominal

    Aorta Abdominal Terminal
    Artéria Ilíaca Comum (Direita e Esquerda)
    Ilíaca Externa
    Ilíaca Interna

Angioplastia: técnica não cirúrgica para tratamento de doenças arteriais. Consiste em insuflar temporariamente um cateter-balão no interior do vaso para corrigir um estreitamento.

Angioplastia Coronária Percutânea: é uma técnica não cirúrgica para desobstrução de artérias coronárias em casos selecionados. Trata-se de um cateter com um balão insuflável em sua extremidade que é colocado ao nível da lesão, dentro da artéria coronária. Em seguida o balão é distendido de forma controlada comprimindo a placa aterosclerótica contra a parede do vaso, aumentando a luz do mesmo, permitindo a adequada passagem do sangue para o leito distal arterial.

Arritmia Cardíaca: ou disritmia cardíaca. Anormalidade no batimento cardíaco. Diversos são os tipos de arritmia cardíaca.

Artérias: são os vasos que transportam o sangue do coração para todo o corpo humano.

Artérias Coronárias: são os vasos que irrigam o coração com sangue rico em oxigênio e nutrientes.

Arteriografia: opacificação com contraste de uma artéria qualquer do corpo humano.

Arteriografia seletiva: opacificação seletiva de uma artéria, por exemplo: arteriografia renal seletiva.

Arteríolas: pequenos ramos arteriais que regulam a resistência ao fluxo sanguíneo. Estruturalmente suas paredes são ricas em fibras musculares e também são conhecidos como vasos de resistência, pois quando se contraem aumentam a pressão arterial do sangue.

Ateroma: depósito de gordura, calcificada ou não, que causa estreitamento do vaso sanguíneo. Também conhecida por Placa de Ateroma ou Placa Aterosclerótica.

Atriosseptostomia: técnica em que se utiliza um pequeno cateter balão para promover a abertura (ruptura) do septo interatrial, tracionando-se o cateter desde o átrio esquerdo até o direito. Utilizado em recém-natos com cardiopatia congênita muito grave, em que se faz necessário uma melhor mistura do sangue arterial e venoso, para manutenção da vida enquanto aguarda o melhor momento de uma cirurgia cardíaca reparadora.

Capilares: vasos sanguíneos microscópicos que se situam entre arteríolas e vênulas, isto é entre artérias e veias, que distribuem o sangue oxigenado para os tecidos do corpo.

Cardiologia: é o estudo do coração e sua função tanto na saúde como na doença.

Cardiovascular: relativo ao coração e aos vasos sanguíneos. O Coração e todos os Vasos Sanguíneos do Corpo constituem o Sistema Cardiovascular. O Sistema Circulatório está constituído pelo Coração, Vasos Sanguíneos e Circulação do Sangue.

Cardioversão: uma técnica em que se aplica um choque elétrico no torax para reverter uma anormalidade do batimento cardíaco, utilizando-se um aparelho chamado cardioversor.

Cateterismo Cardíaco: método em que se punciona ou disseca uma veia ou artéria periférica e se introduz um tubo fino e flexível, chamado cateter até os grandes vasos e o coração, com a finalidade de se analisar dados FISIOLÓGICOS (pressões cavitárias, obter amostras de sangue para dosagem do oxigênio), FUNCIONAIS (débito cardíaco, volumes ventriculares) e ANATÔMICOS (trajeto de cateter e injeção de contraste). Apesar da história e do exame físico do paciente, eletrocardiograma, Rx, prova de esforço, medicina nuclear e ecocardiograma, etc., fornecerem consideráveis dados sobre a função cardíaca, o cateterismo cardíaco utilizando as várias técnicas acima descritas é usado para se obter a maior quantidade de informações possíveis com o objetivo de se conseguir um diagnóstico exato e, assim, decidir qual o tratamento mais adequado.

Cateterismo Cardíaco Diagnóstico: quando o procedimento visa apenas o diagnóstico e a quantificação de lesões quando presente.

Cateterismo Cardíaco Direito: quando se utiliza uma veia do braço ou da perna, progredindo-se o cateter até a veia cava superior ou inferior, átrio direito, ventriculo direito, tronco e ramos da artéria pulmonar e leito distal da circulação pulmonar para registro de pressão "capilar".

Cateterismo Cardíaco Esquerdo: também chamado de cateterismo cardíaco retrógrado, em que se utiliza uma artéria periférica e se progride o cateter sob visão direta fluoroscópica até a raiz da aorta e cavidade ventricular esquerda.

Cateterismo Cardíaco Terapêutico: quando o procedimento visa o tratamento de um defeito cardíaco.

Cianose: tonalidade azulada que assume a pele e mucosas em determinadas condições, geralmente devido ao aumento da hemoglobina reduzida no sangue circulante. É encontrada em recém-natos com defeitos congênitos do coração. Mais raramente está relacionada a presença de outros pigmentos.

Cineangiocardiografia: visualização da luz de um vaso sangüíneo ou de cavidade cardíaca utilizando substância contrastante ao Rx, documentada em filme de 35mm.

Cineangiocoronariografia: visualização da luz das artérias coronárias com a substância contrastante ao Rx, em filme de 35mm.


    Tronco da Coronária Esquerda
    Ramo Descendente Anterior
    Ramo Circunflexo
    Ramo Diagonal
    Ramo Marginal

Circulação Colateral: fina rede de vasos que se forma, próximo ao local da obstrução de um vaso maior, na tentativa do organismo de manter o fluxo sanguíneo ao leito distal comprometido.

Contraste: substância que se injeta para visualização dos vasos sangüíneos e estruturas cardíacas. Existem várias substâncias contrastantes.

Coronária: nome dado às artérias que irrigam o músculo cardíaco.

Coronariografia. O mesmo significado que a cineangiocoronariografia, cinecoronariografia e coronariografia têm

Débito Cardíaco: volume de sangue que é bombeado pelo coração no sistema circulatório, por minuto.

Dissecção aórtica: é a separação longitudinal e circunferencial da camada média da parede da aorta em extensão variável

Desfibrilador: aparelho eletrônico utilizado para reverter uma fibrilação atrial ou ventricular em um ritmo cardíaco normal.

Endarterectomia: remoção cirúrgica de uma placa (aterosclerótica) situada na luz de uma artéria.

Endocárdio: membrana que reveste a superfície interna do coração.

Endotélio: revestimento interno dos vasos sanguíneos.

Epicárdio: membrana que reveste a superfície externa do músculo cardíaco.

Fibrinolíticos: drogas utilizadas para dissolver coágulos sanguíneos recentes, também chamadas de drogas trombolíticas. São utilizadas nas primeiras horas do infarto agudo do miocárdio para dissolver o coágulo que está obstruindo o fluxo arterial coronário. Promove a desobstrução do vaso em 80% dos casos. As drogas mais utilizadas em nosso meio são a estreptoquinase e o actylise.

Fração de Ejeção: representa o percentual do volume ventricular diastólico final que foi ejetado na sístole.

Hemodinâmica: estudo dos movimentos e pressões da circulação do sanguínea.

Infarto do Miocárdio: área do musculo cardíaco danificada por um inadequado suprimento de sangue arterial. Por ex.: obstrução total de uma ramo arterial coronário.

Insuficiência Cardíaca: incapacidade do coração de enviar quantidade de sangue suficiente para as necessidades metabólicas dos tecidos do corpo humano.

Intravenoso: situado dentro de uma veia.

Isquemia: diminuição do fluxo de sangue para um orgão, geralmente devido a constricção ou obstrução parcial de uma artéria.

Isquemia Silenciosa: episódio de isquemia cardíaca sem manifestação de dor torácica.

Manometria: medida dos eventos pressóricos tanto em cavidades do coração como nos grandes vasos. O seu registro em papel também é conhecido como curva pressórica.

Miocárdio: músculo cardíaco que forma as paredes do coração. A sua contração ritmica impulsiona o sangue das cavidades ventriculares para as grandes artérias.

Marca-Passo Cardíaco Artificial: pequeno aparelho implantável cirurgicamente para restaurar o ritmo cardíaco a normalidade.

Regurgitação: refluxo anormal do sangue através de uma valva cardíaca defeituosa e incompetente.

Risco Coronário: um elemento ou condição que envolve um risco aumentado ou perigo de doença coronária. Os Fatores de Risco Coronário estão relacionados com um acréscimo na chance de desenvolver uma doença obstrutiva arterial coronária, principalmente quando associados. Os Fatores de Risco clássicos são: Dislipidemia, Tabagismo, Hipertensão arterial, Diabetes Mellitus, Obesidade e Sedentarismo.

Sistema de Condução do Coração: fibras musculares especializadas que conduzem os impulsos elétricos para todo o músculo cardíaco.

Stent Coronário: são molas ou malhas, na maioria de aço inoxidável, que colocados nas artérias coronárias, nos locais onde existem lesões, servem para manter as paredes do vaso afastadas entre si e manter a placa de gordura aderida à parede. São utilizados em angioplastias em que o vaso oclui agudamente e também com a finalidade de diminuir a reestenose pós angioplastia. A sua introdução na artéria se faz utilizando um cateter balão, ao qual ele é sobreposto. Ao nível da lesão, insufla-se o balão distendendo o stent. Após a desinsuflação do balão, retira-se o cateter, ficando o stent devidamente posicionado.


Angioplastia com Cateter Balão e Colocação de STENT
Desenho Esquemático do Micro STENT II da AVE

    Parede da Artéria com aspecto normal
    Alças Metálicas do STENT
    Placa de Ateroma comprimida contra a parede do vaso.
    Porção Proximal do Balão de Angioplastia (Coronária)
    Lúmen Interno do Vaso

Valva Cardíaca: ou válvulas cardíacas, são aparelhos que regulam a direção do fluxo sanguíneo no interior do coração e nos grandes vasos que emergem dos ventrículos direito e esquerdo do coração. A Valva Tricúspide regula a direção do fluxo do átrio direito para o Ventrículo direito, a Valva Pulmonar direciona o fluxo do Ventrículo direito para o interior de ambos os pulmões, a Valva Mitral que regula o fluxo do Átrio esquerdo para o Ventrículo esquerdo (sangue arterializado que vem dos pulmões) e a Valva Aórtica que mantém o fluxo do Ventrículo esquerdo para a Aorta Ascendente.

Valvoplastia com Cateter Balão: utiliza-se cateteres balões que ao serem distendidos ao nível de válvulas estreitadas (estenóticas): pulmonares, mitrais, aórticas, tricúspides, determinam a abertura das mesmas.

Veias: vasos que transportam o sangue do corpo para o coração

 

 

 

Clínica de Hemodinâmica e Cardiologia Intervencionista do
Hospital Santa Lúcia
SHLS Quadra 716 conj. C - Brasília - DF Cep: 70390-700

Fones: (0 XX 61) 445-0387 ou 445-0388



Estas páginas foram confeccionadas pela
M.Brscan Consultoria de Comunicação
fone: (0 XX 61) 367 1702 - E-mail
ivanmb@mbrscan.com.br